Quem foi Sándor Ferenczi?

Médico e psicanalista húngaro, Sándor Ferenczi (1873-1933) foi um dos primeiros e mais geniais discípulos de Sigmund Freud.

Depois de um longo e intenso convívio com seu mestre e analista, Ferenczi começou a desenvolver uma série de técnicas psicanalíticas inovadoras cujo principal objetivo era tratar pacientes considerados inanalisáveis pelo próprio Freud.

Pouco a pouco, através da originalidade de suas ideias, sua coragem e seu pensamento visionário, Ferenczi desenvolveu uma tecnologia de ponta em psicanálise.

Tornou-se um especialista em casos difíceis: traumatizados de guerra, vítimas de violência sexual, física ou psicológica, pacientes psicóticos, “borderline”, e todos os que sofreram graves privações ambientais.

Simultaneamente clássico e moderno, Ferenczi nos deixa um legado teórico-clínico absolutamente essencial para a compreensão e para o tratamento das patologias psicológicas contemporâneas.

Seu novo paradigma psicanalítico propõe, ao mesmo tempo, uma compreensão profunda do sofrimento humano e um modelo de trabalho terapêutico, empático, sensível, amoroso e, incontestavelmente, mais eficaz.